Jericoacoara-Ce : A praia mais visitada do Ceará


Jericoacoara, ou Jeri para os íntimos, é uma praia paradisíaca situada no Litoral Oeste do Ceará. É considerada uma das praias mais bonitas do Brasil e do mundo. Situada entre dunas e lagoas, possui um pôr do sol inesquecível.
Jericoacoara foi declarada Área de Proteção Ambiental (APA) em 1984 mas somente em 2002 tornou-se Parque Nacional.
A primeira vez que estive em Jeri foi em 1996, não havia luz elétrica, o que aconteceu somente em 1998. Certos confortos como: piscina, ar condicionado não existia.  Era um paraíso perdido, recém descoberto e com cara de vila de pescadores. Poucas opções de hospedagem e restaurantes.
Hoje o cenário é diferente. A energia chegou, o acesso melhorou, e diversos restaurantes e pousadas de cunho  internacional se instalaram. Contudo o charme e as belezas inconfundíveis permanecem.

Como chegar
Carro – Distante de Fortaleza  300km, o acesso se dá pela BR-222 ou CE-085 ( estrada sol poente). Esta última é mais rápida. A estrada está em bom estado, bem sinalizada e não há trânsito de caminhões e carros pesados. Ao chegar em Jijoca de Jericoacoara, deixar o carro ( se não for 4×4) e pegar um transfer para Jeri. Há aluguéis para guardar o carro.
Dica: Como Jericoacoara é distrito de Jijoca de Jericoacoara, e está localizada  entre dunas,  o melhor veículo seria um 4×4. Você chegaria até a praia e poderia fazer os passeios no seu próprio carro, contratando apenas um guia. Contudo é possível você chegar em carro de passeio. Assim que chegar em Jijoca você é abordado por vários guias, que levam o seu carro até lá. Apenas diminua o calibre dos pneus e vá em frente. Pode ir pelas dunas ou a praia do preá.
Caminho entre as dunas, antes de chegar em Jeri
Apenas não aconselho realizar os passeios no seu  carro de passeio. Ao chegar em Jeri contrate os passeios.
Ônibus: A empresa que atualmente está fazendo o percurso é a FRETCAR.

http://www.fretcar.com.br/

Maiores informações ligue (85) 3402.2244.
Melhor época
Muitos sites e guias especializados dizem que se pode visitar Jericoacoara em qualquer época. Mas não é bem assim. Se você quer encontrar sol brilhante, lagoas azuis e transparentes, não vá na época das chuvas.Normal este período é de janeiro a junho no ceará. Devido ao aquecimento global, ultimamente tivemos algumas mudanças. No ano passado começou a chover em Dezembro e continuou até julho, quando fui em Jeri em agosto de 2009, as chuvas haviam cessado, porém foram tão grandes, que as lagoas estavam muito cheias, perdendo assim o seu brilho e transparência.
Por do Sol na Pedra Furada
Dica: se você quer curtir ao máximo, vá entre os meses de Julho a Dezembro. Em julho o quando o sol se põe, conseguimos visualizá-lo dentro da Pedra Furada. O cenário é belíssimo. Em agosto,setembro e outubro os ventos alísios sopram fortes e praticantes de  kitesurf, windsurf , vela entre outros, tomam de conta da praia.

O que fazer
A  permanência ideal é 3 dias e duas noites. Você não se cansa da viagem e consegue realizar todos os passeios tranquilamente.

  • Passeio para Lagoa do Paraíso e Lagoa docoração.
  • Passeio até Lagoa da Tatajuba, passando por manguezais, apreciação de cavalo-marinho, Dunas.
  • Por do Sol na duna
  • Caminhada ecológica até a Pedra Furada. 
  • Forró
  • Visitar a tradicional Padaria do St.Antônio ( abre as 2 da manha, e possui pães quentinhos com recheio de queijo, chocolate,banana) 
  • Curtir os barzinhos no final da tarde
  • Se deliciar com as tapiocas e tortas da Dona Angelica
Lagoa do paraíso
Para matar a fome
Não guardo muito bem os nomes, por isso não posso indicar precisamente os restaurantes. Mas os que me recordo são:
- Pizzaria Banana
- Carcacá
- Sabores da terra
- Taverna cantina e creperia
- Cantina Jeri
Eu extrai do site viajeaqui.abril.com.br as seguintes indicações:
Tamarindo (Rua da Farmácia, que fica entre a principal e a do Forró)
É indiscutivelmente o restaurante mais bonito de Jeri. O terraço tem mesas  — e muito espaço entre elas – sob uma enorme árvore de tamarindo, com iluminação suave. Dentro, o ambiente é mais sofisticadinho (um salão de madeira com janelas de vidro, algo único na cidade), enfeitado com luminárias bárbaras feitas de arame e malha, simples e lindas. O resto da decoração fica por conta de peças de artesanato super criativas “importadas” de Minas e de onde mais der na telha da dona, uma paulistana de muito bom gosto (comentário fofi: o suporte de papel higiênico do banheiro feminino, duas bundinhas – uma branquinha e uma moreninha – com biquínis de lacinho, é a coisa mais graciosa da face da terra). Serve peixes, carnes grelhadas, saladas, pizzas de massa bem fininha e frutos do mar. Mas o mais interessante do cardápio são as receitas que levam frutas. O meu camarão com manga grelhada estava divino. E o acompanhamento, arroz com ervas e lascas de amêndoas, idem. Menção honrosa ao serviço: garçons e garçonetes bonitos, eficientes e simpáticos de dar vontade de abraçar na saída.
Na Casa Dela (Rua Principal)
Fiquei na dúvida ao eleger o Tamarindo como o mais bonito de Jeri, porque esse aqui também é matador. Na pior das hipóteses, o na Casa Dela merece a posição 1,2 no quesito charme. Na entrada, a escultura de uma “nega maluca” e um gramofone já denotam que alguém colocou a imaginação para funcionar na hora de decorar. E deu certo. O acesso ao banheiro (lá vou eu de novo…) é um jogo de amarelinha que termina numa plaquinha “não é o céu, mas é um banheiro” – não é muito fofo???. As mesas se distribuem por um enorme jardim (suponho que eles fecham em dia de chuva) com iluminação cuidada e peças de artesanato divertidas (algumas podem ser compradas numa lojinha anexa). Serve boas moquecas e boas carnes grelhadas (a porção de picanha argentina é para tiranoussauro rex nenhum botar defeito).
Chocolate (Mudou de lugar recentemente, agora fica numa travessinha da rua do Forró)
Eis aqui algo seriíssimo. Se auto intitula um restaurante de alta gastronomia. E o é. O ambiente, pintando em cores quentes, tem um ar oriental, com pufes e almofadas. Mas passemos logo ao que interessa. Comecei com um ceviche de peixe divino, fresquinho e temperado na medida certa. Segui com um Especial da Amazônia — . E terminei com uma mousse de cupuaçu. Mais brasileiro e surpreendente impossível. Meu namorado foi de Filé mignon à Mosqueiro’s, isto é, filé mignon grelhado e coberto com molho de tucupi com jambu. Aprovadíssimo. Nossos dois amigos gringos pediram o filé de robalo com tucupi e jambu. O inglês achou a melhor refeição que tinha feito até então no Brasil. O francês passou a noite intrigado com a existência da manteiga líquida (de garrafa) e manteve um silêncio suspeito após o jantar – também deixou  uma quantidade razoável de comida no prato. Ah… os franceses… Observação: pedimos todas as variações de tucupi e jambu da casa, mas o menu vai muitíssimo além disso, que fique bem claro.
Bistrogonoff (Beco do Guaxélo, entre a principal e a rua São Francisco)
Até na baixa temporada é difícil encontrar mesa neste bistrô. Um amigo catalão, que cruzamos por lá por acaso, disse que jantou to-dos os dias neste restaurantezinho. E o belga dono da nossa pousada também o recomendou como seu preferido. Faz sentido. A comida é muitíssimo bem feita e os preços são mais do que atrativos. Provei o filé com molho mostarda, nada muito criativo, mas estava perfeito. Como o nome já diz, a especialidade da casa são os estrogonofe, em várias versões. Faltaram algumas noites a mais para prova-los. O garçom Junior é a pessoa mais simpática de Jeri.
Carcará (Rua do Forró)
É um dos mais bem falados (e talvez também mais carinhos) de Jeri. E faz jus à sua fama. As mesas se distribuem por um terraço simples, mas gostoso. Mal abri o cardápio e já fui seduzida por uma caldeirada de frutos do mar. A quantidade e o tamanho dos camarões era impressionante. E acho que havia uma lagosta (ok, ela poderia estar um pouco mais tenra, mas era saborosa) inteira no meio da festa. Para ajudar na digestão, ainda foi preciso fazer uma degustação de cachaças… (aliás, é um dos poucos restaurantes da cidade com uma boa seleção da marvada).
Café Brasil (Beco do Guaxélo, entre a principal e a rua São Francisco)
É unanimidade para comidinhas leves, café da manhã e uma fominha fora de hora. O sanduíche de ricota com palmito no pão caseiro integral vai ficar para a história. Também capricha no açaí e nos sucos.

Hospedagem
Há várias opções de pousadas e hotéis,e variados preço.
Preços mais acessíveis:
- Surfing Jeri
- Pousada Papaya
-  Pousada  Blue Jeri
- Pousada do Norte
- Pousada Azul
Preços altos:
- Eco resort Vento Leste
- Hotel Mosquito Blue
- Vila Kalango
Mais informações:

 

Deixe seu Comentário
  • jessica

    Otimo post, muito bem escrito Paabéns!!!
    deixo como dica o site http://adoroviagem.uol.com.br/cidade-jericoacoara-ce
    espero que goste da matéria que eles postaram sobre jericoacoara. é muito bom!

  • Erika Marques

    Bem pessoal, desculpa a ausência durante estes meses. Mas voltamos com energia agora… Jéssica. obrigada pelos elogios. Dei uma olhada no site , e achei legal sim, tem até várias opções gastrônomicas e hospedagens com avaliações, que eu acho super válido.

    Abraços,