Viajando com desconhecidos: Uma experiência única!

 Pensou em tirar férias, folga ou recesso? Está sozinho e não encontra um companheiro de viagem? Não fique aflito, isso já aconteceu comigo, e com certeza com muitos de vocês. Viajar sozinho tira o sono de muitas pessoas e causa vários questionamentos .Será que é possível? Seguro? Divertido? Baseado em duas experiências minhas, confirmo que é tudo isto e muito mais. É uma experiência de vida, de auto-conhecimento. Para relatar esta vivência, minha companheira incondicional de viagem Jussara Soares, fez o seguinte texto:
Quando li “On The Road”, de Jack Keroauc, livro de cabeceira para todo jovem que quer fazer o mundo parecer pequeno diante de sua vontade de desbravá-lo, fiquei pensando em quem iria colocar o pé na estrada comigo. Na obra, Sal Paradise (o personagem principal) teve o inseparável Dean Moriaty  para cruzar os Estados Unidos de costa a costa. As aventuras, desventuras e as experiências da dupla de jovens viajantes influenciaram o rock, a cultura pop, o movimento hippie e minha certeza de que viajar é a melhor maneira de se encontrar.

Eu e a Jussara no Peru

Mas quando chegou a minha vez de colocar o pé na estrada, eu era um “Viajante Solitário”, que é um outro livro do Keroauc. É sempre assim: seus amigos não tiram férias com você, ou não querem fazer o mesmo roteiro ou tem outras prioridades. Foi então que recorri ao site Mochileiros atrás de companhia para viajar e conheci a Érika. Conversamos com outras pessoas, marcamos de encontrar (encontramos) várias delas, mas a Érika está para mim como Dean Moriaty estava para o Sal Paradise. Alberto Granado para Che Guevara. E nos descobrimos uma versão latino-americana de “Thelma & Louise”. Melhor, impossível.

Nosso primeiro encontro no aeroporto de Buenos Aires
Sim, a gente combinou uma viagem inteira pela Argentina e Chile, em 2008, sem nos conhecer pessoalmente. Ela mora em Fortaleza e eu em São Paulo. E tem como isso dar certo? Claro que sim! O primeiro encontro foi apenas no aeroporto Ezeiza, em Buenos Aires, mas na verdade parecia que éramos amigas de infância, já que conversamos muito durante o planejamento. No nosso caso, teve empatia imediata, mas todas as horas no MSN e pelo telefone definindo roteiro, prevendo custos nos ajudaram a ganhar confiança uma da outra.
Se eu tinha medo de a Érika ser uma louca? Claro! Por isso mesmo, ficou claro para as duas que, se algo desse errado no nosso encontro, cada uma seguiria a viagem sozinha. Não aconteceu, mas se você planeja uma viagem com um desconhecido tem que estar preparado para um Plano B.
Juntas na Bolívia
Érika e eu fizemos a viagem do começo ao fim juntas, mas ao longo dela encontramos com vários mochileiros que também conhecemos no site. Nossa experiência deu tão certo que, no ano passado, repetimos a dose pelo norte do Chile, Bolívia e Peru. Sem contar que ela veio pra minha casa em São Paulo, eu já fui para a dela em Fortaleza. E, esse ano, quando a gente não tinha férias programadas, uma viagenzinha para Brasília – a convite de uma outra amiga que viajou com a gente para o Chile  – honrará nosso histórico de uma viagem juntas por ano desde que nos conhecemos.
No ônibus indo de Mendoza para Santiago

 

Eu visitando Sao Paulo
Ju passando o Ano novo no Ceará

Mas qual é o segredo do nosso sucesso? Companheirismo, acima de tudo Nas coisas mais simples. Como uma ajudar a outra a colocar a mochila nas costas e caprichar na hora das fotos. Dar força quando uma pensa em desistir de subir um vulcão, amparar quando a outra machuca o pé. Saber ceder, dividir, pedir desculpa, perdoar e aprender. Respeitar os limites e as diferenças é importante. (Ela gosta de axé, eu gosto de rock. Ela usa abadá, eu camiseta do Ramones). Fazer da gentileza um ato contínuo.

A dica para quem quer encontrar um companheiro de viagem é procure, converse, fiquei atento, pesquise. Hoje com um “Google” você tem a ficha corrida de qualquer um. Facebook, Orkut, Twitter e outras redes sociais ajudam a contar um pouco de quem é a pessoa. Troque telefones, procure saber onde mora, quem é a família, peça contatos. Não custa nada. Érika e eu fizemos isso. E o que aconteceu? Durante a viagem nossas mães começaram a se falar, como se fossem velhas amigas.
Viajar é a melhor maneira de se surpreender. Aproveite então para conhecer o mundo e fazer amigos. Você divide não apenas as contas dos restaurantes, os quartos dos albergues e as dificuldades que possam surgir, mas o melhor: as alegrias, histórias, sensações e lembranças que te unirão pela vida inteira.
Ainda vou conhecer muita gente para viajar. A próxima trip já está sendo planejada com um novo companheiro, mas a Érika será sempre minha “Thelma”, meu “Dean”, meu “Alberto Granado”, minha “road friend” preferida. Queria sempre poder levá-la na minha mochila.

Ufa… Que relato!!! No decorrer de todas as viagens conhecemos várias pessoas de diversas cidades e países. Algumas ficarão marcadas para sempre no meu coração.

Artigos relacionados:
Deixe seu Comentário
  • Rodrigo

    Eu ja utilizei o mochileiros para dicas,mais ainda nao tive a oportunidade de conseguir um companheiro de viagens por la,mais ja conheci durantes as minhas viagens solitarias e recomendo mto…ja fiz amigos de varios lugares do mundo nessas viagens ja que meus amigos nao curtem muito os meus roteiros malucos de mochila nas costas.
    Bom texto e boas viagens para voces.

  • Gleiber

    Vou resumir em uma palavra o que eu senti ao ler esse post incrível: "emocionante". Parabéns pelo blog!

  • Outros Ares

    Gleiber,

    Obrigado pela visita! Realmente essas viagens deixaram boas lembranças.Até um blog estamos escrevendo!!!

    Agora tenho mais um companheiro fiel nas viagens: meu maridão! :)

    Mas ele não é muito adepto a viajar com desconhecidos, ficar em hostel.. essas coisas. Contudo, estou criando estratégias para conseguir que ele mude de opinião! :P

    Abraços,

    Érika

  • Morgana Lacerda

    Adorei o post.. espero passar por essa experiencia um dia =D

  • VANESSA AGUILERA

    Jussara/Érika!

    Nossa, me identifiquei imediatamente com o texto e fiquei arrepiada ao final. Realmente, viajar com desconhecidos é uma grande experiência, um aprendizado e a possibilidade de grandes e verdadeiras amizades. O ditado "você só conhece as pessoas quando viaja com elas" é muito real.

    Nessas minhas andanças por aí sozinha, acompanhada de conhecidos e/ou desconhecidos, fiz grandes amigos, vivi diferentes experiências e sensações. E decidi que não troco isso por nada! E faço das palavras do seu último parágrafo, as minhas palavras para amigos como @CinRodrigues, @cariocaemfuga e @diademochileiro …

    "Ainda vou conhecer muita gente para viajar. A próxima trip já está sendo planejada com um novo companheiro, mas a Érika será sempre minha “Thelma”, meu “Dean”, meu “Alberto Granado”, minha “road friend” preferida. Queria sempre poder levá-la na minha mochila."

    E estou muito feliz de tê-las conhecido, inclusive, de ter viajado com a querida Érika, com a qual me identifiquei pelo jeitão desbocado, "topa tudo", animado e contagiante. Foi o que disse a ela, se morássemos todas em SP, iríamos a falência, pois gostamos das mesmas aventuras! Falta agora conhecer a Jussara pessoalmente. Quero e muito fazer uma trip com vocês!

    Parabéns pelo blog, pelo texto e pela inspiração aos novos e velhos viajantes/mochileiros.

    Érika, saudade de você, doida! Jussara, espero conhecê-la em breve!

    Grande beijo, Vanessa Aguilera

  • Outros Ares

    Vã, vou usar um jargão da minha amiga Jussara : "Você foi a MELHOR AQUISIÇÃO da viagem ao Rio de Janeiro".

    Este texto da Ju é realmente inspirador e apaixonante!

    Obrigada por todas palavras doces ao meu respeito, você também é uma excelente companheira de viagem! Vamos marcar algo para 2012 não é? Nem que seja uma visitinha básica em São Paulo e arredores ou no Ceará tá?

    Beijo grande!

    Érika

  • Lidiane

    Erika,

    Conheci a pouco tempo se blog e tb há pouco estou me aventurando neste mundo virtual de disseminação das experiências de viagem e estou muito de acordo com o que v. escreveu, viajar sozinho é se permitir conhecer pessoas incríveis! Coincidentemente tenho um post no meu blog que fala exatamente sobre de descoberta de viajar sozinha! ;-)

    http://viajandocompouco.com.br/dicas-de-viagem/viajar-sozinho/