Filmes que nos levam a viajar

Por Jussara Soares
 Para a maioria dos mortais, uma longa viagem só pode ser feita uma vez ao ano, nas férias. Nos outros onze meses, a gente que é ansioso por desbravar o mundo se distrai planejando a próxima trip. E uma boa fonte de inspiração para escolher o nosso futuro roteiro é o cinema.
Há vários filmes que nos deixam com vontade de arrumar a mala (ou a mochila) assim que sobem os créditos. Os road-movies,  aqueles cujas histórias se desenrolam durante uma viagem, são os campeões em nos causar este tipo de sensação.  Mas há outros que, embora não recebam esta classificação, também têm este poder de nos fazer embarcar numa trip com seus personagens e “conhecer” lugares fantásticos.
Fiz uma relação de alguns filmes  inspiradores, cujos cenários saíram das telas direto para minha “travel wish list”. Confiram!
Adeus, Lênin! (Goodbye, Lenin!/2003) –  Pouco antes da queda do Muro de Berlim, a mãe de Alexander (Daniel Brühl) fica em coma. Quando ela acorda, a Alemanha está reunificada e a Berlim Oriental, onde ela vivia, está sendo invadida pelo capitalismo. O rapaz então faz de tudo para a mãe não se dar conta deste “detalhe”. Acompanhar as andanças do protagonista é visitar a cidade de carona com ele. Mas o que vale mesmo é se programar para ir lá e conhecer esta nova Berlim, duas em uma só.
A Insustentável Leveza do Ser (Unbearable Lightness of Being/1988) –  O filme é baseado no romance clássico de Milan Kundera. O livro é arrebatador e, neste caso, o longa não deixa a desejar. Temos de entender que trata-se de uma outra linguagem, mas a adaptação é uma das melhores que já vi. Com Juliette Binoche, a história se passa em 1968 na antiga Tchecoslováquia, durante a “Primavera de Praga”, como ficou conhecido o período em que a cidade foi tomada por soviéticos. O enredo político e de paixão se torna ainda mais atraente pela beleza de Praga, capital da atual República Tcheca. 
 
Antes do Amanhecer (Before Sunrise/ 1995) –   Jesse (Ethan Jawke), um jovem americano, e Celine (Julie Delpy), uma mocinha francesa, se conhecem por acaso em um trem que ia de Budapeste, na Hungria, para Viena e resolvem passar algumas horas pela cidade. Vi o filme em 1999 e, desde então, vivo suspirando por Viena, a capital da Áustria, seus palácios, parques, museus e, claro, sua valsa! Dizem que o Rio Danúbio, que corta vários países europeus, é mais bonito ali no norte da Áustria. A conferir muito em breve!
Antes do Pôr-do-Sol (Before Sunset/2004) – O casalzinho que me levou a passear por Viena, nove anos depois me fez íntima de Paris. A capital francesa é cenário recorrente, mas este filme me mostrou a cidade, além de Champs-Élysées: suas ruas charmosas, parques, os cafés, o passeio pelo Rio Sena. Quando estive em Paris, a sensação era de um reencontro com uma velha conhecida.  Os Amantes da Ponte Neuf (Les Amants du Pont Neuf/ 1991), com a incrível Juliette Binoche, também é inspirador. Que emoção passar por lá depois! Recentemente, destaco Meia Noite em Paris (Midnight in Paris/2011): o filme de Woody Allen começa com uma sequência de imagens da Cidade Luz e se desenrola com personagens parisienses ilustres. Saí do cinema com vontade de ir direto para o aeroporto!
Cartas para Julieta (Letters to Julliet/2010) – Uma comediazinha romântica da qual não esperava muito. Mas aí me deparei com uma sequencia de imagens maravilhosas da região de Verona, na Itália. E, juro, só aumentou o desejo de fazer uma super viagem de carro pela Itália. Sob o Sol de Toscana (Under de Tuscan Sun/2003) já tinha despertado esta vontade em mim.
Comer Rezar Amar (Eat Pray Love/2010) – Era um filme que estava com um certo preconceito, mas fui eu lá me aventurar com Julia Roberts e não é que gostei? Belíssimas imagens de Roma (Comer), Índia (Rezar) e Bali (Amar). Mas, confesso, que no filme Roma é a parte mais inspiradora. E me deu a certeza que não dá para adiar mais, se tudo der certo no próximo estou eu lá: comendo!
Diários de Motocicleta (2005) –  Dois jovens argentinos Ernesto “Che” Guevara e Alberto Granado partem de Buenos Aires rumo à Caracas, na Venezuela, a bordo de uma motocicleta, a “Poderosa”.  A viagem pela América Latina é reveladora: apresenta o que tem de mais belo e ao mesmo tempo escancara a fragilidade e a opressão do seu povo.  Foi depois desta viagem que Che se tornou um guerrilheiro, um símbolo da luta das causas sociais. Para quem viaja, o filme melhora o nosso olhar: um lugar só é o que é pelo seu povo. É conversando com ele que mais podemos entender o país que visitamos, tomamos mais consciência do mundo e suas diferenças, nos tornamos uma pessoa melhor. Tem uma frase de Che, enfatizada no filme, que resume bem isso: “Deixe o mundo mudar você e você poderá mudar o mundo”.
Na Natureza Selvagem (In to the Wild/2007) – Clássico entre os mochileiros, o filme é baseado em um livro e conta a história de um jovem americano que decide sair pelos Estados Unidos sem rumo, até que chega ao Alasca selvagem. É mais uma história de quem cai na estrada para se encontrar, em busca de um sentido maior para a vida. É emocionante!
 Sideways – Entre Umas e Outras (Sideways/ 2004) –  Este é um clássico road movie, que conta a história de Miles Raymond (Paul Giamatti), um escritor depressivo que dá de presente ao amigo Jack (Thomas Haden Church) uma viagem pelas vinícolas do Vale de Santa Inez, na Califórnia, nos Estados Unidos. Sensacional! Uma dica para assistir Sideways é tomando um bom vinho, claro. Ah, este filme, que ganhou o Oscar de roteiro adaptado em 2005, fez com que o circuito do vinho americano desviasse para o Vale de Santa Inez, desbancando Napa Valley.
Thelma & Louise (Thelma & Louise/1991) – A viagem da dupla Thelma (Genna Davis) e Louise (Susan Sarandon), no filme de Ridley Scott, é libertadora. Duas mulheres, uma dona de casa e uma garçonete, por volta dos 40 anos e insatisfeitas com a vida decidem, como as boas amigas fazem, passar um fim de semana na montanha. A bordo de um conversível, as duas caem na estrada, mas os acontecimentos as obrigam desviar o caminho e seguir viagem pelo Deserto do Arizona, nos Estados Unidos.  Quantos de nós não pensamos na estrada como fuga, como uma alternativa que nos desvie da rota de colisão com os nossos problemas? É, sobretudo, uma lição de como a estrada pode tornar velhos amigos ainda mais cúmplices.
Vicky Cristina Barcelona (2008) – O filme de Woody Allen tem Penélope Cruz, Scarlett Johansson, Rebecca Hall e Javier Bardem numa história de amor cômica. É ótima, mas não consegui foi tirar os olhos de Barcelona, na Espanha. Vontade ir para lá no próximo verão europeu!
127 horas (127 hours/2010) – Outro filme para os adeptos de destinos de aventura, montanhismo e esporte radicais. Baseado na história real do alpinista Aaron Ralston, que viaja para o Blue John Canyon, no Parque Nacional de Canyonlands, no Utah, nos Estados Unidos. Ele fica preso por uma pedra que cai e esmaga seu braço. Durante cinco dias, as tais 127 horas, ele luta para manter a própria vida. É um filme forte, até mesmo angustiante, mas que vale a pena e nos faz refletir sobre nossas inconsequências. Viajar sem rumo pode parecer uma boa, mas é ótimo também voltar para casa, não? Tomar medidas de segurança e avisar aonde você está indo são precauções básicas.
E você? Já se inspirou em algum filme para viajar? Conte pra gente aqui: você nos indica um bom fim e, de quebra, já sugere um novo roteiro.
Deixe seu Comentário
  • claudia liechavicius

    Erika,
    Que post sensacional.Adoro ler e assistir algum filme sobre o lugar para onde estou indo. Assim, entro no clima e viajo antes mesmo de sair de casa. Já assisti alguns desses filmes, mas não a todos. Vou programar para ver os que ainda faltam.

    Quanto à sua viagem à São Luis e Barreirinhas: boa pedida. É preciso aproveitar esses feriados para fazer viagens curtas pelo Brasil.
    Em São Luís vale a pena conhecer o centro histórico (apesar de estar em péssimas condições), ver o por do sol em São Marcos (em frente ao seu hotel e jantar no restaurante Cabana do Sol – Rua João Damasceno.
    Depois, indo para Barreirinhas fique no hotel Porto Preguiças Resort, telefone (98) 3349.2152 http://www.portopreguicas.com.br
    É o mais simpático da cidade.
    Aproveite muito.
    Beijo
    Claudia

  • Yakissoba

    Muito boas as dicas!
    Outro filme que vale a pena conferir sobre viagens é "the way" dirigido pelo Emílio Estevez e que fala sobre o caminho de santiago de compostela
    é um ótimo filme! altamente recomendável!

  • Juliane C. Borsa

    Adorei este post. Vou assistir um por um e alguns assistir novamente, mas com outros olhos. Parabéns pelo texto e pelo blog. Um abraço,
    @Juliborsa
    http://www.mochiladajuli.blogspot.com/

  • Anonymous

    Ju!! Adorei o post. Vc citou vários dos meus favoritos. Faltou A Praia!!!!!!! Beijos com saudades, Rachel Gepp

  • Felipe

    ja assistir .ADEUS LENIN.é um filmes concerteza fantastico;

  • Chile para crianças

    Erika,
    Obrigada pela visita logo na estreia do chileparacriancas!
    Adorei conhecer seu blog e a ideia deste post é incrível!

    Precisando de alguma informação do Chile é só dizer.
    Bjs
    Cinhia

  • Outros Ares

    Oi, pessoal!
    Anotei já a dica do Yakissoba!
    E A Praia, lembrado pela Rachel Geep, é ótima.
    Beijos,
    Jussara

  • Gustavo – Viajer e Pensar

    Boa Lista!!
    Desejo ir ao Alasca pelo "Into the Wild" e fui ao Napa e etc pelo Sideways.

  • Gustavo – Viajer e Pensar

    Boa Lista!!
    Desejo ir ao Alasca pelo "Into the Wild" e fui ao Napa e etc pelo Sideways.

  • Gustavo – Viajer e Pensar

    Boa Lista!!
    Desejo ir ao Alasca pelo "Into the Wild" e fui ao Napa e etc pelo Sideways.

  • Jussara Soares

    Oi, Gustavo. Tem relato de sua viagem "Sideways"? Quero ler! Aliás, vou lá procurar no blog já, já.