Como chegar em Alcântara – uma aventura no Maranhão

 Os artigos do Turomaquia foram decisivos para inclusão de Alcântara no roteiro do Maranhão. As dicas e fotos da Patrícia aumentaram meu desejo em conhecer esse pedacinho do Brasil. E por que não fazê-lo?
Distante somente à uma hora e meia de barco de São Luís, Alcântara possui uma ampla área de manguezal e igarapés e praias desertas, mas o motivo principal que atraí turistas do mundo todo são seus monumentos e ruínas históricas.


Sua localização é considerada estratégica para transportes mundiais. Há quatro séculos, a aristocracia maranhense residia em
Alcântara, pois a cidade tinha o porto mais próximo da Europa.  Atualmente, tem uma das principais bases de lançamento espacial do mundo, cobiçada até pela NASA, por estar próxima da linha do equador, contudo é fechada para visitação.

Palácio dos leões – centro histórico | São Luis( vista do barco)
O embarque é feito no terminal hidroviário, localizado no centro histórico de São Luis. Não tem erro! Se for de ônibus, é só descer no terminal de integração urbana (ponto final de ônibus), sair, que ao lado esquerdo está o terminal hidroviário.

Há saídas diárias, porém os horários variam devido à tábua de maré. É interessante ir ou ligar um dia antes, para confirmar a hora e o tipo de embarcação. R$ 15,00 o trecho. Dica: quando for visitar o centro histórico de São Luís, dê uma passada lá e verifique!

Há três tipos de embarcações: barco a vela ,escuna e catamarã. O barco é bem maior, porém dizem, que balança mais, a escuna é intermediária e  o catamarã , é menor, porém incomoda bem menos. O trajeto dura 1h e 30 min.
Barco a vela  | Lotação garantida , lenta e desconfortável
Escuna – transporte bem recomendado
Catamarã ( A branca do lado esquerdo da foto) . Transporte que utilizamos
e  que dizem balançar menos. :) Desembarque em Alcântara.
Todas que já visitaram Alcântara relataram que a pior parte da viagem é o transporte, muitas até desistem, não gostam ou não vão por causa do balançado do barco. Pensei que era bobagem, ou coisa de gente fresca!

O barco atravessa o ponto de encontro do oceano atlântico e a baía de São Marcos. Neste ponto o mar é bem revoltoso, ondas de até 3 metros de altura, com profundidade de 120 metros. A ida foi tranqüila, mas a volta foi um filme de terror! A maré estava secando e remávamos contra. Resumo da ópera – 6 pessoas provocando, dentre elas meu marido, que até hoje não quer nem ouvir falar desta viagem!  Deu medo mesmo, os pescadores mais experientes relataram que não é aconselhável ir de barco nos meses de agosto e setembro, época da ressaca, assim #ficadica.
Desembarque em Alcântara
É imprescindível ter um mapa da cidade. Compre o “roteiro e mapa turístico” no guichê do embarque do terminal hidroviário em São Luís ou no desembarque em Alcântara no centro de informações turísticas. Por incrível que parece a secretaria de turismo do Maranhão não oferta gratuitamente. Ponto negativo. Ao menos é em conta: R$ 6,99, ponto positivo.

Deixe seu Comentário
  • Nivea

    Adorei! Fui em abril em Alcântara, peguei esse mesmo barco, fiquei com dor de cabeça por causa das ondas. Acho que eu não ia aguentar voltar no mesmo dia :) Acabamos dormindo.
    Depois olha o meu post http://www.destinodeviagem.com.br/alcantara/
    abs

  • Outros Ares

    Realmente só retornamos , porque nosso hotel em São Luís estava pago.

    Nívea, já estou acompanhando o seu blog. Gostei da dica da pousada Le Baron, melhor evitá-la.

    Abraços,

    ÉRika Marques
    @vejaoutrosares