Embarcando no primeiro horário para Alcântara, é possível conhecer a cidade em um dia e retornar no final da tarde. Há quem prefira pernoitar, mas não acho necessário.

Como falei no post anterior, é preciso ter em mãos um mapa do local. Melhor ainda um tour guiado. Entretanto não botei fé nos guias que nos abordaram no desembarque. Conclusão: penei para compreender o mapa e tentar descobrir as principais atrações, ou melhor, as que valeriam a pena conhecer. Se você gostar de História, é interessante fazer um tour guiado, caso contrário, tentarei explicar o meu roteiro.

Logo na entrada da cidade, depois do píer no porto do jacaré, está localizado do lado esquerdo o Centro de Informações Turísticas, aqui você pode comprar o seu mapa por R$ 6,99. Ruas de pedras de cantaria, paralelepípedos, casarões com azulejos portugueses e ruínas históricas são marcas constantes em Alcântara.
Ladeira do Jacaré

Após a subida da enorme ladeira do jacaré, nos deparamos com a Praça e Capela das Mercês – Nesta praça e arredores ficou a antiga igreja e o convento de Nossa Senhora das Mercês, da ordem dos Mercedários.

Capela das Mercês
Prossiga a esquerda e dobre na primeira à direita, continuando na Rua das Mercês, entre na próxima à direita e encontre a Ermida de N. S do Desterro, a igreja dos sinos, no largo do desterro. Na frente da capela, você tem uma vista magnífica para a Ilha do livramento e Baía de São Marcos, se o dia estiver ensolarado é possível avistar São Luís.
Igreja dos Sinos
Outra dica para anotar é o Restaurante Cantaria, localizado ao lado da Capela. Simples, porém com comida saborosa. Nos blogs que pesquisei, não vi nenhuma recomendação que valesse a pena, aí descobri este por lá. Acho que é um dos melhores, se não o melhor. Seguimos com walking tour e o almoço ficou para o final .

Restaurante Cantaria - Vista para a Baía de São Marcos | Peixe na folha de bananeira

A próxima parada foi as ruínas da Igreja de São Matias, Casa da câmara e a Cadeia, localizados na praça matriz. Outra atração é o Pelourinho, situado em frente à ruína. Nada mais é que uma coluna cilíndrica em pedras, de 5 metros de altura aproximadamente. Servia para castigar os escravos, onde eram amarrados e torturados.
Igreja de São Matias e Pelourinho na praça da Matriz
No Brasil existem outros tipos de Pelourinho, mas a coluna de Alcântara é a única no país que ainda pode ser vista com suas características em ambiente original.

Nos arredores considere visitar a Casa histórica de Alcântara, século 18. É um sobrado colonial de dois andares e um mirante, guarda uma coleção de objetos portugueses e ingleses do séc. 17 e 18, como também, visite o Museu histórico, que guarda também objetos portugueses coloniais portugueses.

Casa histórica do maranhão ( Amarelo) e Museu histórico ( Azul)
ambos na praça matriz. Fechados sábados e domingos.
Siga pela Rua Grande, esta dotada de vários casarões com azulejos portugueses. Na rua de trás, da Amargura se concentra a maioria das ruínas, mas de acordo com locais é aconselhável ir, somente se você estiver em grupo, pois é deserta e pode ocorrer assalto. É uma das ruas mais bonita, com uma bela vista.
Ruínas – trecho da Rua da Amargura
Ruínas do Palácio Negro

A Casa do Divino Espírito Santo, situada na rua grande, exibe vários objetos da festa religiosa mais antiga da cidade, a festa do Divino que acontece todos os meses de maio.
Casa do Divino Espírito Santo – Sobrado de azulejos portugueses
Rua Grande

Andando mais um pouquinho, do lado direito está as Ruínas do 1º palácio do Imperador, que nunca foi terminado e habitado, e em frente no Largo do Carmo, a Igreja e Ruína do Convento de N. S do Carmo, aqui é o conjunto religioso mais intacto e bonito de Alcântara.


Ruínas do Palácio do Imperador – Vista frontal
Ruínas do Palácio do Imperador – Vista lateral
Igreja da N. S do Carmo
Ruínas do Convento da N. S do Carmo – ao lado da Igreja

 

Por fim, a última atração interessante é a Igreja é a Igreja de Nossa Senhora dos Pretos, século 17, no largo do Rosário. Por dentro há um alta-mor muito bonito com diferentes imagens de Santos. Em frente da igreja, está a casa de cultura espacial.

Igreja Nossa Senhora dos Pretos
As atrações principais foram citadas e visitadas, um dia é suficiente para conhecer tudo, mas se preferir curtir o turismo de aventura ( Eeehhh.. em Alcântara também tem) ou descansar depois da viagem turbulenta de barco, Alcântara dispõe de hospedagens modestas. Veja a sugestão da Patrícia, do Turomaquia sobre a Pousada dos Guarás.

Ah! Antes de se despedir de Alcântara, não deixe de provar o doce de espécie, culinária local. Leve uma bandejinha, você não irá resistir. Comprei em uma lojinha próximo ao restaurante Cantaria. Lá os doces são frescos, feitos diariamente. Um pecado!!!
Doce de espécie – Mistura de queijadinha com cocada.. rsrsrs


Deixe seu Comentário
  • Chile para crianças

    Lindo lugar, Erika!!!
    Bjs
    Cinthia
    @ chileparacriancas.blogspot.com

  • http://twitter.com/turomaquia Turomaquia

    Brigaduuu pela indicação! Eu adorei ter dormido uma noite em Alcântara!

  • diana

    meu querido você esta de parabens pela iniciativa ficou lindo seu roteiro,mas a cidade tem mais a oferecer.esquerceu ex: fontes da pedra e do mirititiua e os artesanatos belissimos de fibra de buriti,as praias desertas com uma vista impecavel.e as comunidades quilombolas ex:o itamatatiua poderia ter conhecido e retornado de ferry tem as vans que faz o trajeto.brigada

  • antonio

    como alcantarense e estudante do ifma campus alcantara curso meio ambiente tecnico e gestao de turismo tecnologo achei bacana turismo na cidade de alcantara /ma antonio d c beckman.