Quando penso em viajar pelo litoral nordestino, no qual é bem freqüente, já me imagino lagarteando nas águas mornas e cristalinas. Sem sombra de dúvida, as piscinas naturais é um dos passeios obrigatórios e imperdíveis para quem visita o Nordeste. Nada mais são que formações de corais que represam água na maré baixa.
Depois de cair em algumas furadas, me tornei macaca velha e aprendi um pouco sobre como aproveitar ao máximo este tipo de passeio. Vários fatores interferem diretamente ou indiretamente na visibilidade e profundidade de uma piscina natural: tábua de maré, tempo, clima e vento são alguns.
Se você prefere curtir além do banho de mar, apreciar peixinhos e corais, enfim a fauna marinha, é necessário ficar atento para algumas situações.

Dicas essenciais

1- Tábua de maré -> Verificar a tábua de maré é o item fundamental e mais importante. As piscinas naturais se formam na maré baixa. Atenção: saiba utilizar/interpretar a tábua. Por exemplo: se a maré baixa for às 11h09 min , você deve se deslocar para as piscinas 01h30min h ou 2 horas antes. O horário sinalizado é o cume da maré baixa, 1 segundo após, a maré começa a encher.
Exemplo da tábua de maré do Porto do Mucuripe – Ceará  
TER 10/01/2012 05:11 2.7
11:09 0.4
17:15 3.0
23:36 0.2
QUA 11/01/2012 05:53 2.8
11:53 0.4
17:56 3.0
QUI 12/01/2012 00:15 0.2
06:34 2.8
12:34 0.4
18:39 2.9
2- Fases da Lua -> A natureza é incrível não? A Lua interfere diretamente na tábua de maré, ou seja, não é qualquer maré baixa que será possível observar os peixinhos e corais, principalmente as que se situam em alto-mar. A época ideal é na Lua Nova ou Lua Cheia, pois a maré atinge seus níveis mais baixos: 0,0 a 0,5. Perfeito!
Minha experiência: Na última semana de julho estivemos em João Pessoa e não foi possível realizar os passeios para Picãozinho e Areia Vermelha, os únicos dias do mês que não haveria passeio eram aqueles, devido às condições da maré. Sabíamos disso ao viajar, assim realizamos outros passeios. Seguimos para a Praia de Tambaba, a famosa praia de nudismo localizada no município de Conde, região metropolitana de João Pessoa. A praia é belíssima, entretanto, soube que na maré baixa ela é mais linda ainda, pois formam pequenas piscinas e o local fica perfeito para as crianças.
Praia de Tambaba na maré alta – PB

3- O tempo e o vento – > Fatores que atuam na visibilidade e transparência do mar. Evite os passeios se o dia estiver nublado ou se tiver chovido no dia anterior.  Quando há bastante vento atrapalha também, pois a água fica turva e a visibilidade diminui bastante. Prefira a época do alto verão  e com forte sol – dezembro a março –  o mar fica mais transparente e cristalino.

Minha experiência: Quando visitamos as piscinas naturais de Taoca – Maragogi, a água estava muito turva, pois o dia estava nublado, ventava e ainda havia chovido no dia anterior, muito azar… Porém só seria possível neste dia, pois nos outros a o nível da maré já ultrapassava 0,5.


Fique por dentro | Dicas importantes

1- Leve seu próprio equipamento de snorkling. Particularmente acho anti-higiênico utilizar os snorkels que os barqueiros disponibilizam – Deus e o mundo colocam aquele troço na boca, ai…
2- Não percorra grandes distâncias apenas para fazer este passeio. O tempo pode mudar e aí já era.
3- Adquira protetor para máquina fotográfica – Eu ainda não tenho, mas é bem interessante para quem curte como eu, fotografar até debaixo d água. Não é sempre, mas às vezes há fotógrafos “amadores” que quebram o galho, melhor que nada, mesmo assim acho legal ter uma.
4- Tenha paciência com as crianças.  A idéia de nadar num aquário em alto mar nem sempre é tão divertida, pelo menos no início. Quando meu filho conheceu pela primeira vez uma piscina natural, não estas só para banho, mas aquelas para prática de snorkling, o medo e a insegurança tomaram de conta. Na cabecinha dele os peixinhos iam comê-lo e os tubarões poderiam aparecer a qualquer momento. Detalhe: ele tem seis anos e eu já tinha conversado com ele antes, mas nada como o ao vivo e a cores, não é? Somente após de 20 a 30 min de adaptação ele relaxou e conseguiu aproveitar o passeio.
Algumas piscinas naturais no Nordeste

Ceará – Praia de Mundáu e Flexeiras
Rio Grande do Norte – Praia de Peroba e Maracajaú
Pernambuco – Praia de Carneiros e Porto de Galinhas

E você, conte sua experiência para gente! Até.

Deixe seu Comentário
  • Barbara

    Ai, que saudades de visitar as piscinas naturais brasileiras. Quando eu era pequena fazia sempre viagens para o nordeste e adorava nadar com os peixinhos.
    Ultimamente tenho visto peixinho só aqui na Sicilia, mas eles não são tão coloridos.
    Vou guardar o seu post como dica para quando eu voltar por aí.
    abs
    Babi

  • Outros Ares

    Bárbara, realmente é muito gostoso! Será que as piscinas na Sicília são quentinhas ou bem geladinhas? ;)

    Bjs

    Érika Marques

  • Jodrian Freitas

    Uma outra dica: às vezes é necessário andar nas formações rochosas e aí, todo cuidado é pouco com ouriços e conchas que podem ferir e cortar os pés. A dica é usar um calçado que possa ser molhado.