Relato de Viagem ao Rio de Janeiro | Dicas e roteiros

Daiana Travassos, Arqueóloga, Belém-PA

 Estive no Rio de Janeiro de 17 a 23 de novembro de 2011, em um congresso que me tomou parte do tempo, mas no tempo livre aproveitei o máximo da cidade. A elaboração da viagem foi muito importante para tanto e a ajuda das meninas do Outros ares foi crucial. Logo que defini minha ida para o Rio fiquei sabendo do Personal Trip do Blog Outros Ares, mandei email para as meninas e recebi um documento muito completo com dicas de transportes, pontos turísticos, museus, comidas enfim, como eu disse muito completo mesmo. A partir dessas dicas fui trocando emails com elas e recebendo mais dicas, tirando dúvidas e definindo o roteiro, ao final o roteiro ficou assim:
17/11/11 – quinta-feira – chegada-Orla de Copacabana: cheguei às 22h no aeroporto internacional Galeão, é mais longe, mas paradoxalmente achei prático, eu tinha chegado de uma viagem de trabalho no dia anterior e estava muito cansada e por esse motivo peguei o primeiro táxi que vi pela frente, que era branco e paguei R$ 99,00, meus amigos pagaram R$ 35,00 no táxi amarelo, essa era inclusive uma das dicas das meninas que no cansaço acabei não lembrando. Fui direto para o hostel, nos hospedamos no Hostel Rio Rocker’s que fica na Rua Tonelero em Copacabana a 15 minutos de caminhada da praia, as instalações são boas e o staff é muito atencioso, o único “porém” é que há apenas quatro armários por quarto então sempre alguém fica com as malas em armários fora do quarto ou ao lado da recepção, mas nem é um problemão só menos prático. Fiz o check in e fui encontrar meus amigos no Devassa Copacabana, que fica na esquina da Bolívar com a Atlântica, como estava muito tarde fui de táxi o qual custou R$ 7,00, o que achei justo. Do Devassa caminhamos na praia e na orla depois voltamos para o Hostel porque estávamos todos muito cansados.


18/11/11 – sexta-feira: Cinelândia-UERJ- Lapa
: Visitamos o Museu de Belas Artes e a Biblioteca Nacional, em ambos a entrada é gratuita, sendo que tem que na Biblioteca Nacional (onde a visita é guiada) tem que chegar e verificar na recepção os horários disponíveis para visitação, depois, o Theatro Municipal não estava aberto nesse dia, ainda não sei por qual motivo. Almoçamos em um desses restaurantes de comida caseira no centro, demos umas voltas  pelo centro e no fim do dia paramos para um lanche na Confeitaria Colombo, de lá fomos para a UERJ – Maracanã para a abertura do congresso, por volta das 19h saímos da UERJ e passamos no Iguatemi para providenciar agasalhos, pois tivemos a sorte de pegar uma frente fria, o tempo esteve fechado quase todos os dias da nossa estadia.

A última parada do dia foi a Lapa, pensamos em ir ao Lapa 40º, mas decidimos pelo Boteco do Gomes que fica na esquina da Rua do Riachuelo com a Gomes Freire. O caldinho de feijão de lá é simplesmente divino e o ambiente super descontraído. Pedimos também carne seca desfiada com creme de catupiry que não gostei tanto. Voltamos na madrugada boladona para o hostel.

19/11/11 – sábado: Santa Tereza – Cosme Velho (cristo) – Teatro – Lapa: havia programado o dia para Santa Tereza e o final da tarde para ir ao cristo, mas acabei indo almoçar com uma amiga que estava de passagem pela cidade e não fui a Santa Tereza. No fim da tarde fomos ao Cristo, ela havia comprado ingressos pela internet, no site http://www.corcovado.com.br dá pra comprar o ingresso para o corcovado com 50% de desconto no Itaucard, é apenas um ingresso por cartão a cada semana, portanto, como meu namorado passou no cartão dele pra ela, não deu para eu adiantar meu ingresso também.  

Quando chegamos lá, por volta das 17h, o tempo estava muito fechado e o trenzinho não estava subindo. Decidimos então ir para o Leblon ver o “pôr-do-sol” no mirante, no caminho o tempo fechou mais ainda e não dava para ver o sol se pondo, voltamos caminhando pela orla, paramos para comer um milho verde e tomar água de coco. Para a noite tínhamos programado de ir assistir Doidas e Santas com a Cissa Guimarães no Teatro Vannucci no Shopping da Gávea, mas chegamos tarde e não conseguimos ingressos (também dá pra comprar pela internet, mas era algo ainda não fechado quando saímos de Belém, então não adiantei o ingresso) de lá metade do grupo foi para o baile funk e o restante ia para a Lapa novamente, mas novos imprevistos, foi o dia dos imprevistos, acabaram atrapalhando e terminamos a noite num bar em copa perto do hostel.

20/11/11 – domingo: Passeio de Bicicleta – Urca – Glória – Pão de açúcar-Jardim botânico: acordei super cedo e fui passear de bicicleta, eu devia ter alugado uma bicicleta no site do Itaú, custa R$ 5,00 a diária, mas eu achei super burocrático – não é nada burocrático, você entra no site solicita uma bicicleta, paga e te mandam um código por mensagem no celular, daí você vai a uma das estações digita o código e pega a bicicleta, usa por uma hora depois devolve numa estação, após 15 minutos pode pegar de novo, mas pelos deuses era domingo de madrugada (7h) eu nem queria saber de acessar internet – acabou que aluguei uma bicicleta a R$ 10,00 a hora, eu sei, mal negócio, maaas…fomos até o Leme paramos para uma água de coco e nos encaminhamos para a Urca, paramos na Marina da Glória e fomos para a fila do bondinho que, por ser domingo estava dando algumas voltas, mas até que conseguimos comprar com certa rapidez os ingressos. Subimos então para o pão de açúcar, é incrivelmente linda a visão lá de cima, super vale os R$ 53,00 da entrada. São Pedro resolveu dar uma trégua e o dia estava lindo e ensolarado, como são todos os dias no Rio de Janeiro das novelas.

Na volta almoçamos no restaurante Arosa na Santa Clara 110B, ambiente agradável, comida boa e preço honesto, ótima combinação. À tarde fomos ao Jardim Botânico, lugar lindo, lindo, superou as expectativas, tomamos um lanche no Bistrô dentro do próprio Jardim Botânico que é charmoso e tem um Crumble de manga com banana delicioso. À noite fomos para Ipanema, demos umas voltas na orla e depois nos encaminhamos para o Devassa Ipanema onde terminamos a noite, eu gostei mais do atendimento no Devassa de copa, o atendimento do garçon que nos atendeu no de Ipanema beirava a grosseria.

Próximo à mesa de chá dos D. Pedros no Jardim Botânico

21/11/11 – segunda-feira: Congresso (UERJ) – Arpoador: Exagerei nas Devassas louras, então amanheci mal e tinha apresentação oral no congresso à tarde, portanto, fiquei no hostel revisando a apresentação. À tarde fui ao congresso, fiz minha apresentação e no fim da tarde saí com o pessoal direto para o arpoador para ver o pôr-do-sol, como eu não podia sair foi um dia ensolarado, Murphy me ama. Jantamos no Restaurante Transa na Atlântica, também comida boa e preço justo, voltamos cedo, pois no outro dia tinha o congresso.


22/11/11 terça-feira: Museu nacional –  Congresso (UERJ) : pela manhã fui com um de meus amigos ao Museu nacional, que para uma historiadora/arqueóloga é um deslumbre! Visitamos a exposição Oreretama (exposição permanente) e a exposição de moedas, não pudemos ver mais, pois tínhamos que ir para o congresso e o Museu só abre às 10h da manhã. À tarde fiz outra apresentação no congresso e assisti ao encerramento. À noite fomos para o bota-fora dos meninos que voltariam no dia seguinte bem cedo, eu voltei à noite.


23/11/11 – quarta-feira: vôo de asa delta – cristo – rocinha: amanheceu super nublado e o vôo de asa delta foi cancelado por causa das condições do tempo. Pelo mesmo motivo a ida ao cristo foi cancelada e a visita à rocinha acabou não rolando também, na verdade essa ida à rocinha em pleno processo de pacificação era mais uma coisa de namorada de historiador militar, que ficou me enchendo porque eu tinha que ser testemunha desse momento histórico.
Acabei ficando no hotel a manhã toda porque estava caindo o céu de tanta chuva. À tarde fui ao Forte de Copacabana com uma amiga, parei novamente na Colombo, comprei uns souvenires e voltei para o hostel. Jantei no Arosa e fui para a Atlântica esperar o ônibus para o aeroporto, achei super tranqüilo e seguro o ônibus Real que custa R$ 9,00, cheguei na hora e o motorista foi super simpático.

Dica:
locomovemos-nos tanto de táxi, quanto ônibus e metrô. Comprei o cartão de integração do metrô na superfície no auto-atendimento com carga de R$ 20,00  e deu certinho para o tempo que fiquei lá, mas quando fui fazer a integração para o Cosme Velho o cartão não foi aceito pelo motorista do ônibus, embora ainda não tivesse passado o tempo mínimo para integrações (2h), ele simplesmente disse que o cartão não era aceito, olhei no site e não vi nada que justificasse isso, portanto, é bom atentar para isso.

Enfim, essa foi a minha experiência na cidade maravilhosa. Devo confessar que o fato de a organização do congresso não ser tão boa, reservando apenas dois dias para as apresentações e de que o tempo fechou, o que cancelou todas as outras atividades do congresso (visitas a sítio arqueológico e a um parque paleontológico) permitiram que aproveitássemos mais a cidade.

Deixe seu Comentário
  • Outros Ares

    Daiana,

    Nós que agradecemos a sua rica colaboração. Estamos felizes por termos contribuído para o sucesso da sua viagem.

    Conte sempre conosco! E que venha muitas, e muitas viagens em 2012.

    Abraços,

    Érika Marques